Categorias
NOVIDADES

ESPORTES 8 atletas que vão dar o que falar em 2017

No que toca aos Jogos Olímpicos, é senso comum entre os especialistas em preparação física que o lado psicológico pode ser um forte inimigo de muitos atletas que, em condições normais, disputando competições em que a responsabilidade por vitórias fosse menor, teriam mais sucesso.

Alguns nomes, como o da iatista Martine Grael ou o do tenista Andy Murray, que combinam juventude com talento ou experiência com boa forma, mostraram nas Olimpíadas de 2016 que não se deixam abalar com a pressão e que chegaram para fazer história em suas modalidades. Novatos ou experientes, alguns atletas merecem atenção redobrada e devem estar em foco nas competições nos próximos anos.

1 . Neymar Júnior (Futebol)

(Fonte: El País.com)

O brasileiro Neymar é um dos jogadores mais valorizados do futebol mundial e foi uma das grandes estrelas dos Jogos Olímpicos do Rio 2016. Além de ter sido o artilheiro da selecção brasileira, com 4 gols marcados, foi também o protagonista do momento ápice do futebol na competição: foi dele o gol na decisão por pênaltis que deu o ouro olímpico ao Brasil, numa final dramática vencida por 5 a 4 contra a Alemanha. Esse jogo teve um sabor especial a revanche por causa da fatídica derrota do Brasil para a Alemanha por 7 a 1, na Copa do Mundo em 2014.

Com 24 anos, Neymar é titular absoluto da seleção brasileira e é também um dos grandes nomes do Barcelona, clube em que atua há três anos. Na equipe espanhola, Neymar foi vice-artilheiro na temporada 2015-2016, com 35 gols. No seu currículo está a conquista da Liga dos Campeões da UEFA 2014/15 e a nomeação como finalista do prêmio Bola de Ouro da FIFA para melhor jogador do mundo em 2015, prêmio que também disputa em 2016 e que será entregue ao vencedor no dia 12 de março.

2.SIMONE BILES (Ginástica)

(Fonte: Getty Images / Laurence Griffiths)

Dez ouros em Mundiais e cinco pódios numa única Olimpíada: o que dizer sobre Simone Biles, que encantou o Rio de Janeiro com suas apresentações na ginástica?

Com 19 anos e 1,45m, a ginasta norte-americana começou a dar nas vistas aos 16 anos de idade. Os títulos mundiais chegaram rápido e de forma repetida, com o tricampeonato em 2013, 2014 e 2015. Nas Olimpíadas do Rio, Biles conquistou quatro ouros e um bronze e entrou no grupo restrito de maiores medalhistas da história da ginástica numa mesma edição dos Jogos, superando a romena Nadia Comaneci, uma das maiores de todos os tempos.

Apesar de já ter quatro medalhas douradas, acreditamos que o melhor desta atleta ainda está para vir e que Simone Biles irá dar que falar nos próximos anos. Os seus adversários que se cuidem, especialmente nos próximos Mundiais de Ginástica (em 2017 no Canadá, e em 2018 no Catar), pois Biles promete ser a grande estrela dos dois eventos.

3. Martine Grael e Kahena Kunze (Vela)

Foto: William West / AFP

Tradição de mar Martine Grael tem de sobra: esta atleta é filha de Torben Grael, um ícone do iatismo e maior medalhista olímpico brasileiro, com cinco pódios.

Na companhia de Kahena Kunze, Martina se estreou nos Jogos Olímpicos em 2016 e a dupla garantiu o ouro pela classe 49er FX. Ambas com 25 anos, Martina e Kahena são as atuais número 1 do mundo do ranking da Federação Internacional de Vela. A dupla possui no currículo o título mundial, conquistado em 2014, e a prata nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, em 2015.

O foco destas atletas agora é a preparação para a primeira etapa da Copa do Mundo de Vela, que será realizada em Miami entre os dias 22 e 29 de janeiro de 2017.

4 . Andy Murray (Tênis)

Foto: Clive Brunskill/ GETTY IMAGES

Atual número 1 do mundo do ranking do tênis profissional, o britânico Andy Murray se tornou em 2016 o primeiro bicampeão olímpico da história do tênis. Após batalha épica contra o argentino Juan Martín Del Potro na final, Murray venceu por 3 sets a 1 após quatro horas de partida.

Aos 29 anos, Murray teve uma performance quase imbatível na quadras em 2016: conquistou dois vices no Australian Open e no Roland Garros e os títulos em Wimbledon e no ATP World Tour Finals, ultrapassando o melhor do mundo em 2015, o sérvio Novak Djokovic.

Em 7 de novembro de 2016, Murray se tornou o número 1 do mundo pela primeira vez na carreira ao derrotar o canadense Milos Raonic, por WO, na semifinal do Masters 1000 de Paris. Acabou por vencer o título neste torneio, ao derrotar dias depois na final o americano John Isner.

No primeiro Grand Slam de 2017, o Australian Open, que acontece entre 16 e 29 de janeiro, as apostas esportivas online afirmam que Andy Murray é um dos favoritos, com 40% de chances de levar o título.

5. Kate Ledecki (Natação)

Fonte: Expresso Sapo.pt / Stephan Wermuth

A mulher mais vitoriosa das Olimpíadas do Rio 2016 é uma rainha das piscinas, com dois recordes mundiais nos 400m e nos 800m. Aos 19 anos, a norte-americana Kate Ledecky já superou os feitos de outra lenda viva da natação, o compatriota Michael Phelps: quando este tinha a mesma idade, saiu da Cidade Maravilhosa levando na bagagem quatro ouros e uma prata.

Ledecky já acumula 13 recordes mundiais e conquistou seu primeiro ouro olímpico aos 15 anos, nos 800m livres em Londres. Com duas Olimpíadas no currículo, Ledecki ainda tem muita lenha para queimar e o próximo grande objetivo é o Campeonato Mundial dos Esportes Aquáticos, que será realizado na Hungria em 2017.

6. THIAGO BRAZ (Salto com vara)

Fonte: Alexandre Cassiano / O Globo

Aos 22 anos, Thiago Braz saltou 6,03m nos Jogos Olímpicos do Rio. Conseguiu um novo recorde olímpico e levou o ouro no salto com vara ao desbancar o favoritismo do francês Renaud Lavillenie, numa prova que foi das mais polêmicas dos Jogos (Lavillenie relacionou a derrota na final às vaias da torcida brasileira). Foi a primeira vez que um brasileiro ganhou uma medalha na prova de salto com vara e foi o único ouro do atletismo brasileiro na Olimpíada do Rio.

Thiago, que começou na modalidade aos 14 anos, voltou a mostrar sua força em setembro, na etapa da Diamond League, em Zurique, na Suíça: conquistou o bronze, mostrando que seu ouro nas últimas Olimpíadas não foi obra do acaso.

Thiago Braz tem um futuro promissor pela frente e dada a diferença de idade para os maiores rivais (Lavillenie, com 30 anos, e Sam Kendricks, com 25), a sua estrada está pavimentada de boas esperanças nos próximos anos.

7. RAFAELA SILVA (Judô)

Foto: Marcelo Theobald / Agência O Globo

O caminho de Rafaela Silva até o ouro nas Olimpíadas não foi simples. Esta judoca de 24 anos derrotou Dorjsürengiin Sumiya, da Mongólia, na final da categoria até 57 kg.

Apesar da pouca idade, Rafaela possui um extenso histórico de conquistas. Em 2008, se tornou a primeira brasileira campeã mundial de judô. Daí para o ouro olímpico foi um pulo.

Sua energia está agora focada no Mundial de Judô de 2017, em Budapeste, na Hungria. E todos os brasileiros esperam ver cumprida a promessa de novas medalhas no currículo de Rafaela Silva.

8. JUSTIN ROSE (Golfe)

Fonte: Getty Images

Chegou aos Jogos Olímpicos de 2016 quase sem ninguém notar, mas a performance impecável de Justin Rose faz com que ele seja um dos atletas a ser observado em 2017. Para completar o percurso e os 18 buracos da prova, Justin precisou de 268 tacadas, superando o sueco Henrik Stenson, que ficou com a medalha de prata, e o norte-americano Matt Kuchar, vencedor do bronze.

Além de garantir o primeiro ouro da Grã-Bretanha em competições olímpicas de golfe, Rose entrou para a história no Rio de Janeiro ao acertar o primeiro ‘hole in one’ da história do golfe em Jogos Olímpicos (acerto do buraco na primeira tentativa). .

Com 36 anos, Rose tem um histórico de 20 títulos na carreira, entre eles a conquista do US Open em 2013 e um Masters em 2015. Ele está entre os favoritos para a vitória do US Open 2017, a ser disputado em junho.