Categorias

ÚLTIMAS NOTÍCIAS Reforço na segurança da Zona Sul da cidade

O comandante do 12º BPM (Niterói), tenente-coronel Sylvio Guerra, informou que o reforço na segurança durante a madrugada em Niterói pode começar neste final de semana, caso um estudo da mancha criminal seja finalizado. Segundo Guerra, será a análise que observará as locais com mais índices de crimes e determinará os pontos a receberem o maior número do efetivo e quantidade de contingente empregado – dados estes que não serão revelados pela corporação. Questionado sobre o efetivo, o comandante explicou que o mesmo irá variar por dia, operação e resultados da mancha criminal.

“Estamos nos programando para fazer um policiamento efetivo, focado na nossa mancha criminal no período da madrugada. Principalmente no Fonseca, Icaraí, Santa Rosa, em áreas onde os veículos estão sendo roubados, das pessoas chegando em casa. O contingente será de acordo com o estudo que está sendo feito, vamos utilizar o que entendemos como necessário e que pode variar de acordo com o dia, com a mancha que encontrarmos”, explicou, ressaltando que a mancha criminal de uma região é calculada com o número de registros de ocorrências policiais.
Desde que assumiu o comando do 12º BPM (Niterói) na última semana, Guerra afirma que vai atuar em prol da retomada da sensação de segurança, combatendo o tráfico de drogas em comunidades da cidade. O foco também será em locais considerados de risco, onde há maior índice criminal. O comandante não informou quais seriam estes pontos.

Também nessa semana, os policiais do 12º BPM deram início a dois projetos: o “Bom dia, Niterói”, que prevê policiamento baseado em corredores viários da cidade como a Alameda São Boaventura e Av. Professor João Brasil, no Fonseca, Av. Roberto Silveira, em Icaraí, e Estrada Francisco da Cruz Nunes, na Região Oceânica; e a blitz com motocicletas, que visa apreender motos irregulares, que podem ser usadas por criminosos, e veículos suspeitos.

Sobre a possibilidade de expandir o “Programa Niterói Presente” para a Região Oceânica, o coronel Paulo Henrique Moraes disse que não há previsão. Ele alegou que a Região Oceânica é diferente dos outros locais por não possibilitar o policiamento a pé em um ponto de grande circulação de pessoas, devido à extensão dos bairros. Este, segundo ele, é justamente um dos vieses do “Programa Niterói Presente”, que visa liberar a Polícia Militar para outras ocorrências e operações.

Ele disse ainda que estudo do município para montar o Pacto Niterói Contra a Violência evidenciou que o bairro com maior incidência de menores de idade apreendidos é Piratininga, na Região Oceânica. evidenciando que o criminoso mudou de município. Também há relatos da presença de criminosos do Rio em Niterói.