Categorias
NOVIDADES

CIDADE Pesquisa revela que Niterói é a terceira cidade mais cara do País para se comer fora

Captura de Tela 2015-05-04 às 10.49.31Não é apenas o IPTU de Niterói que circula entre os mais altos do Brasil. Segundo uma pesquisa encabeçada pela Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (Assert), o município é o terceiro do País com o preço mais elevado quando se trata de alimentação fora de casa. O estudo aconteceu em 51 cidades e 23 capitais brasileiras. Para a pesquisa, foram ouvidas 5.118 pessoas, entre proprietários ou responsáveis pelas informações dos preços nos estabelecimentos. No total, foram coletados 6.101 preços considerados nas suas diferentes ofertas ou tipos de refeição: prato feito ou comercial, autosserviço (refeição a quilo/preço fixo), prato executivo e “à la carte”.

Como podemos ver no quadro acima, o preço médio do prato comercial (500g) acrescidos de refrigerante em lata (350 ml), água (500 ml) ou suco (300 ml), sobremesa (unidade de 200g), ou salada de frutas, e café expresso foi de R$ 32,46.  Um prato feito/comercial na cidade sai por R$ 27,65. Já os serviços a quilo custam R$ 28,80, com o executivo R$ 40,41 e serviços à la carte R$ 62,66. Os preços cobrados na Região Sudeste foram os mais caros, com a média a R$ 27,76, seguido de R$ 26,98 (Nordeste); R$ 26,11 (Norte); 26,09 (Centro-Oeste); R$ 25,70 (Sul).

Essa é a décima edição da pesquisa, que visa avaliar os preços de refeições fora de casa no horário do almoço em restaurantes e similares que aceitam vouchers/cartões refeição. A pesquisa também tem o objetivo de analisar os fatores que influenciam a escolha pelos alimentos que compõem o prato do trabalhador brasileiro.

O título de cidade com o piso mais caro para a alimentação fora de casa ficou com Florianópolis. Em segundo lugar, o Rio de Janeiro.