Categorias
NOVIDADES

CIDADE Prefeitura de Niterói se pronuncia sobre Operação Bandeira Preta

sesegA Prefeitura de Niterói se pronunciou, no fim da tarde da última quinta-feira (26/11), sobre a Operação Bandeira Preta, realizada pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e de Inquéritos Especiais (DRACO/IE), da Corregedoria-Geral Unificada (CGU), pela Subsecretaria de Inteligência (SSINTE), pela Polícia Civil e pelos promotores do Ministério Público Estadual. O objetivo da operação foi desmantelar a organização criminosa liderada por Roberto Carlos Brito da Costa, conhecido como Betinho e Alexander Soares Shroeder, conhecido como Shrek.

Segundo a investigações da DRACO e da SSINTE, A fraude cometida pela Máfia dos Táxis Piratas de Niterói consistia, inicialmente, em se apropriar de autonomias suspensas pela morte do permissionário. Com a clonagem da autonomia legítima, a organização criminosa conseguia até cinco veículos para taxistas piratas. Um falso cartão de identificação do motorista era emitido e o veículo pintado. Até o taxímetro era feito por ‘relojoeiros’ da organização criminosa. Estima-se que, atualmente, existam 600 táxis piratas circulando em Niterói.

Táxis terão que ser recadastrados

De acordo com a administração, todos os 1.906 táxis permissionários de Niterói serão recadastrados entre dezembro deste ano e janeiro de 2016. O formato da fiscalização será anunciado nos próximos dias. Segundo a prefeitura, nenhuma nova permissão de táxi foi concedida desde janeiro de 2013.

A Subsecretaria de Transportes de Niterói reiterou sua colaboração com as investigações e informou que os dois servidores presos na operação nunca exerceram cargo de confiança na atual gestão. Alexandre Soares Schroeder foi exonerado do cargo de diretor-geral da Secretaria Executiva da Prefeitura de Niterói em 31 de dezembro de 2012. Já Roberto Carlos Brito da Costa, em 1º de março de 2010. Os dois são funcionários estatutários da Prefeitura (Alexandre desde 2003 e Roberto desde 1981). Ambos foram suspensos de suas funções. Foi aberto um processo administrativo disciplinar para investigar a conduta dos dois, que terão amplo direito de defesa, como prevê a legislação. Se condenados, eles poderão ser expulsos do serviço público municipal.

A Prefeitura de Niterói considera a ação da Polícia Civil e do Ministério Público positiva e importante para pleno esclarecimento dos fatos ocorridos desde o assassinato do subsecretário de Transportes Adhemar José Melo dos Reis, em 20 de janeiro de 2010, na administração anterior. Reitera, também, a confiança de que a ação em curso será útil para melhorar a qualidade dos serviços prestados pelos taxistas permissionários à população de Niterói.