Categorias
NOVIDADES

CIDADE Viagem experimental acontece em setembro no túnel Charitas-Cafubá

BRT_NITEROI_TUNEL_CAM04_00_CROPA primeira viagem experimental no túnel Charitas-Cafubá acontecerá no dia 15 de setembro. A afirmação foi feita pelo prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, durante a vistoria técnica no canteiro das obras da Transoceânica. Já foram concluídos 1.200 metros de pavimento rígido de concreto armado no interior do Túnel Luiz Antônio Pimentel – trecho este que recebe piso especial e reforçado para a circulação de ônibus.

Neves destacou que a obra mantém o cronograma inicial e, após o teste, continuará avançando para que a galeria esteja concluída em 15 de outubro. No mês de novembro, a expectativa é que o Túnel João Sampaio (sentido Região Oceânica-Charitas) já esteja também concluída.

“Estamos cumprindo os prazos da obra. Sabemos o quanto é importante para os moradores da cidade ter este percurso encurtado. Essa obra de mobilidade urbana chegou junto com a execução do Programa Bairro Melhor, que está concluindo a pavimentação e drenagem no Cafubá e na Fazendinha e já executou obras semelhantes no Bairro Peixoto, Camboinhas e Piratininga. Isso melhorou a qualidade de vida da população e valorizou os imóveis”, lembrou o prefeito.

Outra novidade anunciada é que será reaberta nesta segunda-feira (15/08), na Estrada Francisco da Cruz Nunes, o trecho 5 ( que vai do Itaipu Multicenter até a rótula do DPO do Cafubá), na faixa de circulação de ônibus. A previsão é que, até o fim de agosto, o trecho também possa ser reaberto para circulação de veículos de passeio. Já o trecho 1 das obras da Transoceânica, em Charitas, já está aberto à circulação de veículos.

Na Avenida Sete, as obras serão concluídas até o fim deste mês. A via, que funciona como uma espécie de linha binária de acesso aos bairros da Região Oceânica, está recebendo intervenções importantes como recuperação asfáltica, infraestrutura e recapeamento.

“A integração que vai ser possível com o túnel vai mudar a geografia da cidade e a comunicação. Já termos esse piso especial de concreto é muito importante, pois será por onde circularão os ônibus. É um piso com reforço especial e nas faixas paralelas entrará a camada asfáltica do túnel”, comentou Verena Andreatta, a secretaria de Urbanismo.

Transoceânica: uma obra de mobilidade

A obra terá um papel importante na mobilidade de Niterói: além de 13 estações de ônibus BHLS, contará com ciclovia e estará integrada à estação do catamarã de Charitas. No sistema BHLS (Bus High Level Service), os ônibus têm ar-condicionado, portas dos dois lados, circulam em faixas exclusivas, e os passageiros pagam a passagem no terminal, antes de embarcar. A obra tem custo de R$ 310 milhões, financiados com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento, do Governo Federal (R$ 292 milhões) e da Prefeitura (R$ 18 milhões).