Acesse nossas Mídias

Notícias

Projeto de Lei pretende ajudar no tratamento de doenças graves com cannabis medicinal em Niterói

Compartilhe

Tramita na Câmara de Vereadores de Niterói, um Projeto de Lei que prevê a distribuição gratuita de medicamentos prescritos que contenham, em sua fórmula,as substâncias Canabidiol (CBD) e/ou Tetrahidrocanabinol (THC), nas unidades de saúde públicas municipais e privadas, ou conveniada ao Sistema Único de Saúde – SUS.

O Projeto tem como motivador a história de Marilene Esperança, que viu seu filho Lucas entrar em estado vegetativo aos 14 de idade, após anos de luta contra a encefalite de Rasmunssen. Com o agravamento do quadro de seu filho, e sem esperança na medicina tradicional, Marilene seguiu indicação médica e foi em busca da Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadoras de Câncer e Hemopatias – Abrace, entidade autorizada, que apoia as famílias necessitadas quanto aos tratamentos à base de cannabis.

Em menos de um mês, seu filho Lucas já demonstrava evolução no quadro. Hoje em dia, o Lucas voltou a andar, falar e tem suas crises controladas usando apenas o óleo da cannabis medicinal.

“Meu filho usava 5 anticonvulsivantes e hoje ele não usa nenhum. Meu filho hoje anda, fala, dança, anda de bicicleta. Ele vive hoje!” – afirma Marilene Esperança.

Autor do projeto, o vereador Leandro Portugal (PV) acredita que a oportunidade é ímpar para que que se debata a cannabis medicinal, muito além do preconceito:

“Essa discussão é a possibilidade de puxar o debate em paralelo com o plano nacional, e quebrar preconceito com relação ao uso da cannabis para fim medicinal. O projeto já foi aprovado pela nossa CCJ (Comissão de Constituição e Justiça). Vamos marcar uma audiência pública para reunir especialistas que vão tirar dúvidas sobre o tema. Nosso desejo é aprovar o projeto como toda chancela merecida da sociedade” – afirmou o vereador, autor do projeto.

Vale ressaltar que, caso o projeto seja aprovado, o uso do medicamento deverá ser autorizado por ordem judicial ou pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA, e/ou prescrito por profissional médico acompanhado do respectivo laudo das razões da prescrição.

Além disto, o extrato de cannabis não causa vício ou dependência, tampouco provoca alucinações. A relação do Canabidiol com o cérebro se dá pelo fato de que ele reduz a reação do sistema nervoso central, motivo pelo qual pode ser considerado como um antipsicotrópico e neuroprotetor, além de promotor de ação anti-inflamatória.


Compartilhe
Continuar Lendo
Comentários

Mais Notícias

Topo
Abrir chat
Precisa de ajuda?