Categorias
NOVIDADES

CIDADE Niterói terá primeiro projeto do mundo de casa totalmente sustentável

CasadoFuturo2Niterói será a primeira cidade do mundo, a partir do próximo ano, a ter um modelo-piloto de construção da Casa do Futuro. A intenção é que o imóvel seja totalmente sustentável. A proposta é que ela reduza em até 85% o volume de resíduos e em 80% a emissão de carbono comparada com uma residência normal.

O Prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, cedeu parte do terreno da Concha Acústica para o desenvolvido o projeto NO. V.A. – Nós Vivemos o Amanhã. Em contrapartida pela cessão do terreno, a concessionária Ampla se compromete a reformar três importantes praças na cidade: a do Descobrimento, na Região Oceânica, a de Santa Bárbara e a do Largo da Batalha. A Ampla também terá que executar melhorias de infraestruturas na Concha Acústica. O NO. V.A. é um projeto de Pesquisa e Desenvolvimento da empresa de energia que conta com a parceria da Pontifícia Universidade Católica (PUC-Rio) e da Fundação Getulio Vargas (FGV).

Neves destacou a importância da parceria do poder público com a iniciativa privada e citou exemplos já realizados na cidade, como o Eco Ampla, de reciclagem e o Eco Cultural.

“Hoje estamos marcando um verdadeiro gol de placa neste projeto idealizado pela Ampla que conta com apoio integral da Prefeitura de Niterói. Em tempos de crise, a união de esforços entre as instituições públicas e privadas é a melhor estratégia. Vivemos um momento de conferência do clima e este projeto tem sintonia com o século XXI”, comentou.

O chefe do Executivo disse, ainda, que a Casa do Futuro é um projeto que vai permitir a divulgação da cultura da sustentabilidade e será um grande ponto de partida para pesquisas na área.

O projeto vai usar materiais inovadores, como madeira com alta capacidade de isolamento térmico e tintas antichamas com capacidade de isolamento acústico. Entre as tecnologias previstas para a casa estão equipamentos inteligentes que medirão o consumo de água e energia em tempo real; dispositivos de monitoramento de saúde dos moradores; bancadas interativas com acesso à internet e um biodigestor que produzirá gás a partir de resíduos orgânicos também estarão presentes na Casa Além disso, a residência será autossuficiente no uso hídrico e a captação de água da chuva reduzirá o risco de inundações. Todos os efluentes, incluindo esgoto, serão tratados e reutilizados.