Categorias
NOVIDADES

EVENTOS Arte na Rua com música para todos os gostos e histórias que celebram a tradição folclórica

1621_danielServiço

Daniel Santos, em “Choro Duo”, música
Local: Esquina da rua Moreira César com Pereira da Silva – Icaraí
Data: terça-feira, 18/08/2015
Horário: 18h30
Ingresso: Gratuito

Júlia Vargas, música
Local: Praça da Cantareira
Data: quarta-feira, 19/08/2015
Horário: 20h
Ingresso: Gratuito

Chico Chico, música
Local: Praça da Cantareira
Data: quarta-feira, 19/08/2015
Horário: 21h
Ingresso: Gratuito

Barcamundi, música
Local: Praça Getúlio Vargas – Icaraí
Data: sexta-feira, 21/08/2015
Horário: 18h30h
Ingresso: Gratuito

Roda de contos, contação de histórias
Local: Pista de Patinação do Campo de São Bento
Data: domingo, 23/08/2015
Horário: 11h
Ingresso: Gratuito

O Arte na Rua da semana entre 19 e 23 de agosto segue com um roteiro diversificado de atrações gratuitas distribuídas por diversos bairros da cidade. Promovido pela Prefeitura de Niterói, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação de Arte de Niterói – FAN, esse circuito de programações tem ampliado ainda mais o conceito de arte pública, urbana, livre, popular e democrática da cidade.

Entre os destaques, um mergulho no trabalho do músico uruguaio Daniel Santos, que passa pelo jazz, o rock e chega com tudo à bossa nova. Em rodada dupla na Praça da Cantareira, se apresentam a cantora Júlia Vargas, pupila de Milton Nascimento, se aventurando pelo blues e os regionalismos, e o cantor Chico Chico, num show de canções autorais recheadas de folk. Também ganha espaço na programação a banda niteroiense Barcamundi, com um repertório eclético de rock, MPB e indie, e o espetáculo de contação de histórias Roda de Contos, celebrando o folclore nacional.

Tendo participado de várias bandas pela América Latina, agora no Rio de Janeiro o músico coordena e participa de projetos musicais como saxofonista solo de bossa e jazz, com um quinteto de latin-jazz, um trio de tango, uma orquestra de salsa, e tocando chorinho com os músicos Rogério Souza, Ronaldo do Bandolim e João Hermeto.

Na quarta, dia 19, tem show da cantora Júlia Vargas na Praça da Cantareira, às 20h. Tendo acompanhado o mestre Milton Nascimento em shows pelo Festival Back to Black, em 2013, e na turnê “Linha de Frente”, em 2014, Júlia é dona de uma voz especial e sobe ao palco prometendo interpretações únicas de novas e velhas canções. Passeando pelos mais variados territórios: blues, sambas e regionalismos, além de cantora, Júlia é também bailarina e percussionista em intensa atividade nas cenas musicais do Rio de Janeiro e se prepara para lançar seu segundo CD solo.

Também na quarta, dia 19, às 21h, a mesma Praça da Cantareira recebe apresentação do cantor Chico Chico, trazendo para o público o melhor do universo folk. Aos 21 anos, o músico, filho da cantora Cássia Eller, vem com sua primeira safra de canções autorais, uma presença firme no violão de cordas de aço e a riqueza poética que carrega na voz. No repertório, temas instrumentais, como “Capo na V” e “Billy”, além de uma releitura de Skip James com a canção “Hard time killing floor blues”, de baladas blues, como “Nada mais” e “Notas de cem”, do folk “De manhã cedo (a cara do medo)”, e do baião “Amor pra dar”. Quem o acompanha no violão e viola é o parceiro Rodrigo Garcia, que está produzindo seu álbum, “Chico Chico & 2 x 0 Vargem Alta”. Esse é seu primeiro projeto coletivo e está prestes a ser lançado pelo selo Porangareté.

No domingo, 23, às 11h, a Pista de Patinação do Campo de São será o espaço para uma viagem ao folclore do país, através da contação de histórias que foram passadas de geração em geração, no espetáculo Roda de Contos. Nesta obra, as tramas e personagens que fazem parte do imaginário popular serão contadas pelas artistas Ana Luiza França e Aline Oliveira através de narrativas e canções. O folclore de um povo possibilita que se conheça o passado de uma cultura e a construção da cultura contemporânea. No momento em que a tecnologia ganha cada vez mais espaço no cotidiano de adultos, adolescentes e crianças surgem iniciativas que resgatam histórias que ajudaram a construir nossa cultura popular, em um esforço para manter vivo um universo simbólico rico e instigante.