Categorias
NOVIDADES

ÚLTIMAS NOTÍCIAS Segurança: Guardas municipais participarão de treinamento piloto preparatório para o uso de arma de fogo

Iniciativa foi anunciada durante encontro do prefeito Rodrigo Neves com chefe de Operações da PF em Niterói

O prefeito de Niterói Rodrigo Neves anunciou na última quarta-feira (07), durante reunião com o chefe de Operações da Polícia Federal em Niterói, delegado Jeronimo José da Silva Junior, que 30 guardas municipais participarão de um treinamento piloto preparatório para o uso de arma de fogo no primeiro bimestre do ano que vem. A Prefeitura cumpriu os procedimentos legais e já recebeu o aval da Polícia Federal para iniciar a implantação da guarda municipal armada na cidade, porém no primeiro trimestre de 2017 será realizado um plebiscito na qual a população decidirá sobre o armamento ou não da guarda municipal.

Neves estabeleceu um cronograma de planejamento para o armamento da Guarda Municipal, em relação à formação e análise psicológica dos guardas municipais, além da elaboração uma matriz curricular para aulas práticas de tiro, em parceria com a Universidade Federal Fluminense-UFF e com instrutores autorizados pela Polícia Federal.

“É importante que a guarda substitua a Polícia Militar no combate a delitos de rua. Nesse contexto, armar uma fração da Guarda é muito importante. A matriz curricular está sendo elaborada com muito critério para que a gente tenha realmente essa força de excelência à disposição da população de Niterói. O foco da Guarda será nos crimes de rua, de menor potencial ofensivo, onde já atuamos, mas com uma limitação até por conta dessa questão do armamento”, afirmou o secretário de Ordem Pública, coronel Gilson Chagas.

O chefe do Executivo anunciou também a criação de uma Coordenadoria Antidrogas no município, no âmbito da Secretaria Executiva, com o objetivo de cooperar e trabalhar com ações educativas junto à juventude e à rede municipal de educação de Niterói.

“Foi uma reunião de trabalho para conversar sobre segurança pública na cidade. A Polícia Federal vem desenvolvendo uma ação importante de desbaratamento de organizações criminosas e enfrentamento ao crime organizado. Apesar de a segurança ser atribuição do estado, estamos trabalhando numa linha de colaboração desde o início de nossa gestão, nessa perspectiva de cooperação entre as forças de segurança. Já temos uma parceria com a Polícia Federal, e esta é uma reunião que marca o avanço de mais uma etapa nessa integração de esforços para restabelecermos a tranquilidade para a população de Niterói”, disse o prefeito.

AÇÕES

Outra ação concreta tomada por Rodrigo Neves foi o agendamento para a próxima terça-feira (13-12) de uma reunião do Gabinete de Gestão Integrada, para alinhar ações das polícias Federal, Militar e Civil, e da própria Guarda Municipal, tendo em vista o período de fim de ano, quando ocorre um aumento de assaltos e furtos.

Para o delegado Jerônimo José da Silva Junior, a iniciativa do prefeito de trazer como plataforma de governo a segurança do cidadão niteroiense é de extrema importância.

“Em toda a circunscrição da Delegacia da Polícia Federal, Niterói é o único e primeiro município onde se tem a efetiva preocupação do dirigente com o cidadão nesse aspecto. Quero dar os parabéns ao prefeito Rodrigo Neves pela iniciativa, que foi muito bem aceita pela Polícia Federal, tanto que todo o processo foi aprovado, nos âmbitos local, regional e federal. E tudo indica que conseguiremos trazer de novo a tranquilidade ao cidadão niteroiense”, afirma o delegado.

Força Municipal

Secretário de Ordem Pública, coronel Gilson Chagas afirmou que a Guarda Municipal caminha para se tornar uma força municipal de Segurança Pública de excelência.

“É importante que a guarda substitua a Policia Militar no combate a delitos de rua. Nesse contexto, armar uma fração da Guarda é muito importante. A matriz curricular está sendo elaborada com muito critério para que a gente tenha realmente essa força de excelência à disposição da população de Niterói. O foco da Guarda será nos crimes de rua, de menor potencial ofensivo, onde já atuamos, mas com uma limitação até por conta dessa questão do armamento”, explicou o secretário de Ordem Pública.