Categorias

ÚLTIMAS NOTÍCIAS Rodrigo Neves é denunciado pelo MPF

Foto: Agência O Globo

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou nesta sexta-feira (18) o prefeito de Niterói Rodrigo Neves (PDT) e mais oito pessoas por formação de quadrilha, corrupção e fraudes em licitações. O Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) ressaltou na denúncia que dois esquemas criminosos são mantidos desde 2013, ano em que Neves foi eleito para o primeiro mandato.

O TRF2 também aponta que os acordos ilegais eram feitos a partir de licitações marcadas por fraude e corrupção na publicidade oficial, tanto da Prefeitura como no projeto do BRT Transoceânica. O MPF observou ainda que houve pagamentos indevidos a conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE/RJ) para que as obras do BRT fossem aprovadas.

As investigações começaram quando após delações premiadas feitas em uma das fases da Operação Lava Jato. Com a denúncia, o prefeito corre risco de ficar inelegível, pois o MPF fez o pedido da condenação a Justiça.

“O procedimento de investigação criminal conduzido pelo Ministério Público Federal permitiu obter veementes indícios de autoria e materialidade delitiva atribuíveis ao atual prefeito de Niterói/RJ, Rodrigo Neves Barreto, o qual, associado a empresários e outros agentes públicos, valeu-se do cargo para cometer crimes de corrupção e fraudes em processos licitatórios ao longo dos mandatos sucessivos entre 2013 e 2020”, diz a denúncia.

Confira a defesa do prefeito Rodrigo Neves sobre a denúncia:

“Estamos sendo questionados pela imprensa sobre uma denúncia que teria sido feita contra o prefeito Rodrigo Neves. Não consta até agora no sistema da Justiça nenhuma peça nesse sentido. Isso mostra que se trata de mais uma ação estriônica, midiática e apenas para inglês ver. O procurador, de forma deliberada, fez a busca e apreensão para colher elementos para a denúncia. Não foi apreendido absolutamente nada com o prefeito e, mesmo assim, o procurador divulga para a imprensa que fará a denúncia nas últimas horas antes do recesso do Judiciário. O Tribunal só reabre em janeiro, quando Rodrigo Neves não será mais prefeito e não manterá o mesmo foro. Lamentável que o procurador abuse do poder de denunciar, vaze documentos que ele mesmo pediu que estivessem sob sigilo para a imprensa e queira fazer uma ação inócua como essa para aparecer. Inclusive com um pedido absurdo de inegibilidade. É um tiro n’água”, disse Técio Lins e Silva, que representa Rodrigo Neves.

Fonte: Jornal O Fluminense