Categorias

ÚLTIMAS NOTÍCIAS O Flamengo está sem freio novamente!

Quando surgiram os rumores da demissão de Maurício Barbieri e toda política que rondava a Gávea, a crise se instaurou. Bandeira de Mello bancou o jovem treinador praticamente sozinho, porém, foi vencido. E então demitiu-o. Quando ventilou-se o nome de um novo “professor”, poucos aceitaram o trabalho no meio. A não ser Dorival Jr. Ele aceitou, pegou e o Flamengo embalou. Leia aqui porque o Bonde do Mengão está sem freio novamente.

A influência

Quando o experiente treinador chegou ao +Querido, esperava-se que algo de bom poderia acontecer. Afinal, é notório que uma mudança, em sua maioria, é positiva – pelo menos de início. Mas, ainda era rodeado de incertezas. Vamos falar a verdade: Dorival é um bom treinador, é verdade que acumulou certos fracassos que nos deixaram com a clássica pulga atrás da orelha (inclusive no Flamengo). No entanto precisamos dar o devido crédito pelos trabalhos notórios que teve. Cito:

  • Santos em 2010 com Gabigol, Neymar, Robinho, André, Ganso e outros;
  • O trabalho de reestruturação no Vasco que, após ter caído para Série B em 2008, foi Campeão com uma boa campanha em 2009 – alguns anos depois seria campeão da Copa do Brasil e quase finalista da Libertadores;
  • Atlético Mineiro em 2010 e Palmeiras em 2014, quando foi chamado para livrar ambos do rebaixamento e o fez praticamente na última rodada.

Sua influência no Flamengo foi nítida. Após a vitória de ontem (21/10) em cima do Paraná por 3×0, a equipe carioca se manteve na corrida até o Palmeiras estando há 4 pontos atrás e estando na 2ª colocação parcialmente*. Dorival Jr. botou banca e assumiu que o Flamengo precisava de um choque. Algumas mudanças foram feitas por Barbieri ates de ser demitido, mas a questão psicológica foi recuperada pelo novo professor. Sendo assim, o Rubro Negro atingiu algumas marcas interessantes. A saber:

  • Em 4 jogos até agora, são 3 vitórias e 1 empate.
  • Em 4 jogos até agora, são 10 gols e nenhum sofrido.
  • Após ficar 1 mês sem fazer gols, os atacantes do time já fizeram 5 gols. Com 2 de Uribe, 1 Dourado e 1 Vitinho.

O estilo de jogo

Você já leu aqui que falamos sobre o “não-ataque” do Flamengo. Não me refiro àquela posse de bola para o lado, mas sim ao ataque incisivo. Flamengo não pode ser o time que deixa o adversário jogar. Tem que ser aquele que vai pra cima, que pressiona, que até pode recuar quando necessário, mas que faz os adversários saberem quem é que manda. E era exatamente ao contrário que acontecia. Se recorda que bastava fazer 1×0 e era pressão adversária? Pudera também… Afinal, a vontade de segurar o resultado era maior do que a vontade de fazer mais gols e sacramentar a vitória.

Com Dorival, o Flamengo recuperou nesses 4 jogos, a boa linha de frente, fazendo jus às contratações caras (Né, Vitinho). Outro ponto positivo, ainda que tenha sido utilizado por Barbieri, foi a recuperação de Arão. O volante sempre foi um bom jogador, mas de fato caiu muitíssimo seu rendimento e foi colocado como ‘bode expiatório’ de qualquer fase ruim do time. Sua participação surpresa na área voltou a acontecer e foi a resposta para o questionamento se Cuéllar não estava sacrificado sozinho. Hoje, ele não sai do time mais, segundo demonstra a comissão técnica. Para ter certeza de que isso procede, contra o Paraná (21/10), Diego – apesar de ter ficado parado 20 dias por lesão – ficou no banco e o sistema de 2 volantes foi mantido.

Controle do vestiário

O jovem e bom zagueiro Léo Duarte, deu uma entrevista garantindo que os jogadores estavam com o ex-técnico. E, sinceramente, acredito nisso. Acredito que Barbieri tinha o controle do vestiário e o apoio dos atletas. Mas estava nitidamente confuso e isso afetava o grupo. Nem preciso citar quando ele colocou Vitinho no 2ºT e o tirou 36′ depois. Uma das maiores faltas de noção que eu já vi. Este fato culminou na sua saída. O atual comandante conseguiu mexer no psicológico coletivo, como já citei, e conseguiu blinda o elenco de certos problemas. Como a eleição do clube em dezembro e o pior: a indisciplina de Diego Alves. O goleiro passou os últimos 4 jogos de fora por lesão, e na sua volta contra o Paraná, Dorival avisou que ficaria no banco para o garoto César. Diego não gostou disso e se recusou a viajar se fosse dessa maneira. Este fato gerou revolta dos torcedores. Ambos acharam desnecessária a atitude do atleta e precipitada, afinal o treinador chegou agora. Considerado um dos líderes do grupo, sua atitude foi rejeitada também pelos companheiros que demonstraram estar fechados com o atual professor e comprometidos para o bem maior: a instituição Clube de Regatas Flamengo.

O Bonde tá sem freio

Restam 8 jogos e a diferença para o líder é de só 4pts. E, no próximo sábado (27), Flamengo e Palmeiras se enfrentam no Maracanã lotado. Se o Alviverde ganhar, fechou o título. Mas se o rubro-negro ganhar… Sai da frente, porque o bonde virá sem freio algum. A equipe mudou, o treinador mudou, por sinal seu contrato é só até dezembro. Foi um tiro curto e muito bem acertado. Como diriam os flamenguistas… “Deixou chegar…”.

Curiosidade

A era Bandeira de Mello começou com Dorival Jr. sendo o 1º técnico contratado e terminará com ele sendo o último.


Filipe Vianna – Blog Segue o Jogo

*Se o Inter ganhar hoje (22) do Santos, ele volta a ser o atual vice e o Fla terceiro.