Acesse nossas Mídias

Maricá

Niterói, Rio e Maricá lançam campanha contra o feminicídio

Niterói, Rio e Maricá lançam campanha contra o feminicídio

Compartilhe

No dia em que se comemora 15 anos da Lei Maria da Penha, cidades se mobilizaram para reforçar as ações de combate à violência contra a mulher

Um encontro no recuo da Ponte Rio-Niterói marcou, na manhã do último sábado (7), o início da campanha que registra os 15 anos da Lei Maria da Penha, comemorado no dia 7 de agosto. O evento contou com representantes das prefeituras das cidades de Niterói, Rio de Janeiro e Maricá, que lançaram a campanha “Juntas Contra o Feminicídio”.

Fernanda Sixel, responsável pela coordenadoria de Políticas e Direitos das Mulheres da Prefeitura de Niterói (Codim), representou a cidade no evento. Ela disse que a campanha foi pensada para divulgação – em transportes coletivos e individuais, como ônibus, barcas, carros de aplicativos e táxis – de informações que ajudem as mulheres vítimas de violência. A concessionária Ecoponte, que administra a Ponte Rio-Niterói, também aderiu à campanha e na praça do pedágio, painéis eletrônicos divulgam os canais de atendimento às mulheres em situação de violência. Equipes da Codim estão distribuindo cartazes e panfletos em pontos estratégicos de Niterói.

A partir das 18h, vários pontos turísticos das três cidades serão iluminados com a cor roxa. Em Niterói, o Museu de Arte Contemporânea (MAC), o Caminho Niemeyer e a Câmara de Vereadores estarão com a iluminação especial. No Rio de Janeiro, serão iluminados o Cristo Redentor, a Igreja da Penha, o Maracanã, o Estádio São Januário, a Igreja Nossa Senhora da Penna, os Arcos da Lapa, a Câmara de Vereadores, o Museu do Amanhã, o Copacabana Palace, o Chafariz da Estrada do Galeão, o Telão da Cidade das Artes e o prédio da Prefeitura do Rio. Em Maricá, a entrada da cidade e a Igreja Nossa Senhora do Amparo foram os pontos escolhidos.

“O objetivo da campanha é fazer com que a sociedade civil perceba o aumento dos casos de feminicídio e saiba que a violência contra as mulheres existe e a cada dia se torna mais frequente, especialmente neste período de pandemia”, explica Fernanda. “A campanha é para que a sociedade possa debater esse assunto e fazer com que a informação chegue até aquela mulher que está dentro de sua casa sofrendo e sendo agredida. Nosso objetivo é que essa mulher saiba que o município tem uma rede de proteção e de atendimento. A mulher não está sozinha e nós temos mecanismos e formas para atendê-la de forma humanizada, com uma equipe técnica e qualificada”.

A coordenadora de Políticas e Direitos das Mulheres de Niterói disse ainda que na cidade o atendimento à mulher é feito no Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam), no Centro, no Núcleo de Atendimento à Mulher (Nuam), no Plaza Shopping, e na Sala Lilás, no Posto Regional de Polícia Técnico-Científica do Barreto, uma parceria entre as Prefeituras de Niterói e Maricá, o Poder Judiciário do Rio de Janeiro e a Secretaria Estadual de Polícia Civil.

“Temos também todas as políticas públicas que a Codim implementa, como o projeto do Hotel de Passagem e o auxílio social. A gente quer que todas essas informações cheguem a cada lar, a cada família, a cada mulher. Que essas informações cheguem às mulheres e elas saibam que podem nos procurar”, disse Fernanda Sixel.

O objetivo da campanha é destacar os avanços conquistados nos últimos 15 anos de criação da Lei e, ao mesmo tempo, trazer luz ao tema do feminicídio.

É muito importante estarmos unidas, três cidades da Região Metropolitana, nesta luta contra o feminicídio. Um desafio do Rio é transformar a cidade em uma referência na igualdade de gênero. Acredito que esta seja uma ambição compartilhada entre todas nós”, destacou Joyce Trindade, secretária Municipal de Políticas e Promoção da Mulher da cidade do Rio. Ela lembrou que a cidade relançou, na última semana, a Casa Viva Mulher Cora Coralina, um abrigo sigiloso para mulheres vítimas de violência.

A coordenadora de Políticas Públicas para Mulheres de Maricá, Luciana Piredda, ressalta a importância de a mulher saber que não está sozinha na luta contra a violência.

“A nossa luta cotidiana é para garantir que as mulheres em situação de violência tenham a sua proteção garantida e apoio efetivo dos órgãos públicos nessa jornada. Em Maricá, vamos lançar, em breve, o programa Recomeçar sem violência, com iniciativas como pagamento de aluguel social”, explica Luciana.

A campanha “Juntas Contra o Feminicídio” conta com as parcerias da EcoPonte; CCR Barcas; BRT; VLT, Taxi-Rio; o Sindicato dos Taxistas do Rio; SuperVia; Eletromidia; Bora Brasil Mobilidade; Lady Driver; Vasco; Museu do Amanhã; Cristo Redentor; Câmara Rio; RioLuz; Copacabana Palace e Cidade das Artes.

Homenagem – A Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/2006) foi criada para homenagear a cearense Maria da Penha que ficou paraplégica em decorrência das duas tentativas de feminicídio por parte do marido, em 1983.  Após a sua criação, foram criados mecanismos para combater à violência doméstica e familiar. A Lei abrange outras formas de violência além da física, como a psicológica, sexual, patrimonial e moral.

Mesmo com 15 anos de vigência da Lei Maria da Penha e de ser referência internacional, o Brasil ainda ocupa o 5º lugar no ranking mundial de violência contra as mulheres e esses dados se tornaram mais preocupantes durante a pandemia da Covid-19. Em 2020, o número de feminicídios aumentou até 400% no País, de acordo com a Agência Senado.

Rede de proteção à Mulher – Disque 180

Em caso de Emergência – Disque 190

Niterói – Centro Especializado de Atendimento à Mulher Neuza Santos

Endereço: Rua Cônsul Francisco Cruz, 49, Centro. Telefones: 21 96992-6557 / 21 2719-3047 (whatsapp). Codim: 21 98321-0548. Núcleo de Atendimento à Mulher (Nuam), piso G4 do Plaza Shopping Niterói, no Centro.

Rio de Janeiro – Centro Especializado de Atendimento à Mulher Chiquinha Gonzaga

Endereço: Rua Benedito Hipólito, 125 – Centro. Telefones: 21 2517-2726 / 21 98555-2151 (whatsapp). E-mail: [email protected] Para mais serviço, acesse o 1746

Maricá – Casa da Mulher Heloneida Studart. Centro Especializado em Atendimento às Mulheres – Natália Coutinho Fernandes

Endereço: Rua Pereira Neves, 274 – Centro. Telefones: 3731-5636 / 97602-3243 (WhatsApp). E-mail: [email protected]


Compartilhe
Continuar Lendo
Comentários

Mais Maricá

Topo
Abrir chat
Precisa de ajuda?