Categorias
NOVIDADES

ÚLTIMAS NOTÍCIAS Restaurante Popular de Niterói é reaberto

 

Restaurante Popular de Niterói

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, reinaugurou nesta segunda-feira (02/01) o Restaurante Cidadão Jorge Amado, conhecido como Restaurante Popular de Niterói, no Centro. Fechado pelo Governo do Estado desde o dia 05/12/2016, o ato foi o primeiro de seu novo mandato (2017/2020).

Logo cedo, dezenas de pessoas que já se encontravam na porta do local à espera da abertura. As refeições começaram a ser servidas às 10h da manhã, no horário regular de quando estava aberto. Às 11h30, o prefeito chegou ao local com sua família e equipe.

O prefeito se pronunciou antes de fazer sua refeição no local: “As expectativas são as melhores, e hoje o restaurante popular é nosso, é de Niterói. Viva o restaurante popular”, disse Rodrigo Neves ao final de seu discurso.

A reabertura do equipamento reacende a esperança de milhares de pessoas que lutavam com dificuldade por uma alimentação digna. Cidadãos como o morador do Centro Paulo César Freitas, de 54 anos, que almoçava todos os dias no Jorge Amado e, com o seu fechamento, passou a pedir comida pela rua.

“Reabrir o restaurante foi uma boa. Almoçava aqui todos os dias. Sem lugar para comer, passei a pedir na rua”, disse.

O cardápio para o dia da reabertura teve como prato principal frango à primavera, com opção para goulash (carne ensopada), além do acompanhamento feijão, arroz, farofa, alface com beterraba; de sobremesa, paçoca; e, de bebida, suco de groselha.

O recém-eleito vereador e membro da nova mesa diretora da Câmara Municipal de Niterói, Leandro Portugal, reforçou a importância de ajudar a população menos favorecida e mais necessitada da cidade: “Nosso grupo milita semanalmente pelas ruas do Centro da cidade distribuindo sopão e ajuda a centenas de famílias, que nos relatam sempre que as refeições do Restaurante Popular, muitas vezes, são as únicas que eles conseguem fazer na semana. É fundamental cuidarmos da população em situação de rua na nossa cidade, esta será uma preocupação do meu mandato e tenho certeza, de toda a administração atual da cidade. É um fato absoluto que: Quem tem fome, tem pressa!”

 

O aposentado Amaro do Espírito Santo, de 59 anos, afirmou que estava passando dificuldades com o fechamento do restaurante. Ele afirmou que quase todo seu salário vai para o pagamento do aluguel e, com o pouco que restava, comprava comida.

“Estamos revivendo o que estava esquecido. Nota dez para a reabertura do restaurante. Seu fechamento foi uma tristeza muito grande”, disse.

O restaurante serve diariamente 750 cafés da manhã e 2.250 refeições, segundo a Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos. O café da manhã vai das 6h às 9h, e o almoço das 10h às 15h. O almoço completo e um copo de refresco continua a R$ 2, mesmo preço praticado antes do fechamento.