Acesse nossas Mídias
campanha combate coronavirus

Agenda

“O casamento suspeitoso”, de Ariano Suassuna, no Ciclo de Leitura Dramatizada

Compartilhe

1536_flyerServiço

“O casamento suspeitoso”, de Ariano Suassuna
VII Ciclo de Leitura Dramatizada
Data: Terça-feira, 28 de julho de 2015
Horário: 19h
Ingresso: Gratuito
Classificação etária: livre

Teatro Municipal de Niterói
Rua XV de Novembro 35, Centro
Tel: (21) 2620-1624

O Teatro Municipal de Niterói, em parceria com a Atacen, dá continuidade, na terça-feira, 28 de julho de 2015, às 19h, à sétima temporada do Ciclo de Leitura Dramatizada, com o texto “O casamento suspeitoso”, de Ariano Suassuna. De grande riqueza artística, o texto procura recriar a tradição do teatro popular, tanto na concepção dos personagens, quanto no desenrolar da trama. Com direção de Dárdana Rangel, a trama traz à tona uma crítica a membros da Igreja e da Justiça, nem sempre incorrompíveis.

A peça é uma comédia de costumes nordestinos que tem como foco central o casamento por interesse econômico, o popular “golpe do baú”. Lucia Renata vem do Recife, acompanhada por seu amante Roberto Flávio e sua mãe Susana Cláudia, para casar-se com o ingênuo Geraldo, filho de Dona Guida e herdeiro de uma fortuna na cidade de Taperoá, interior da Paraíba.

Os três trambiqueiros se deparam, no entanto, com a esperteza de uma dupla de empregados formada por Canção e Gaspar, que armam várias situações para provar que Lucia é uma interesseira, traidora e que cobiça a fortuna da família. Ao perceber a intenção dos dois, Lucia, Suzana e Roberto também armam uma cilada para eles, o que origina um pequeno suspense, pois não se sabe quem conseguirá convencer Geraldo. Trava-se aí uma divertida luta.

Na peça, os diálogos são recheados de humor e, ao criar certos personagens, o autor “faz um processo clássico de recriação de tipos já existentes numa comédia popular, no caso, a tradição do Romanceiro Popular”, o que garante uma imediata identificação do público brasileiro, já conhecedor desses tipos bastante difundidos pelo próprio autor em outras peças, como “O Auto da Compadecida”, considerada por muitos como o maior clássico nacional.


Compartilhe
Continuar Lendo
Comentários

Mais Agenda

Topo