fbpx
Acesse nossas Mídias

Notícias

Niterói apresenta Moeda Arariboia para moradores da cidade

Niterói apresenta Moeda Arariboia para moradores da cidade

Compartilhe

Equipes da prefeitura já fizeram mais de 70 reuniões e mobilizaram mais de 8 mil niteroienses

A Prefeitura de Niterói vem apresentando a Moeda Social Arariboia em diversos bairros da cidade. O trabalho, realizado pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Economia Solidária (SMASES) em parceria com a Secretaria Municipal de Participação Social (Sempas), já alcançou mais de oito mil niteroienses.

O objetivo da ação de mobilização é apresentar e explicar aos moradores, líderes comunitários e comerciantes como funcionará a nova moeda social que vai passar a vigorar na cidade.

O secretário de Assistência Social e Economia Solidária, Elton Teixeira, destacou a importância do programa no desenvolvimento social e geração de renda.

“Esse processo de mobilização para apresentação da Moeda Social Arariboia tem sido fundamental para esclarecer as dúvidas da população e demonstrar que o programa é permanente e vai mudar a vida das pessoas. Ao mesmo tempo em que vai diminuir as desigualdades sociais, vai ajudar a desenvolver os territórios mais empobrecidos do município. É a junção de combate à pobreza e desenvolvimento econômico justo e solidário”, reforçou o secretário.

A moeda social Arariboia faz parte do Programa Municipal de Economia Solidária, Combate à Pobreza e Desenvolvimento Econômico e Social de Niterói, instituído pela Lei Nº 3621, que tem como objetivo principal combater as desigualdades sociais, fomentar o desenvolvimento econômico e social das comunidades e estabelecer meios para atingir a erradicação da pobreza e a geração de emprego e renda para as camadas mais carentes do município, complementando a Política Municipal de Economia Popular Solidária.

Desde o lançamento do programa, equipes da SMASES vem percorrendo os bairros da cidade para tirar dúvidas da população e cadastrar comerciantes interessados em prestar serviços através da moeda social. Neste tempo, já foram realizadas mais de 70 reuniões de mobilização e cadastrados mais de 1500 comerciantes em diversas áreas de atuação.

De acordo com o coordenador de Economia Solidária, Maicon Carlos, “um programa de transferência de renda aliado a uma moeda social será um impulso para desenvolver economicamente as comunidades e as regiões mais empobrecidas. Por isso, estamos apresentando e tirando dúvidas sobre a Moeda Arariboia”.

O Programa de Economia Solidária, Combate à Pobreza e Desenvolvimento Econômico e Social de Niterói Arariboia pretende gerar porta de saída para os beneficiários dos programas sociais através do CadÚnico e dos equipamentos socioassistenciais e ser mais do que um programa de transferência de renda. O objetivo é criar uma ferramenta de estímulo produtivo que irá gerar desenvolvimento local e territorial dentro das comunidades, proporcionando a geração de novos empregos e o surgimento de novos comércios.

As reuniões de mobilização estão acontecendo nas cinco zonas da cidade, em várias comunidades de bairros como Santa Rosa, Barreto, Fonseca, Cubango, Piratininga, Centro, Pendotiba, Maria Paula, Largo da Batalha e Engenhoca (divisa com o município de São Gonçalo).

O projeto da Moeda Social Arariboia prevê contemplar 27 mil famílias em situação de maior vulnerabilidade social, cadastradas no CadÚnico. A moeda poderá ser usada nos comércios locais cadastrados, sejam eles padaria, pequenos mercados, hortifrutis e pequenos produtores e outros, fazendo o dinheiro circular dentro da própria comunidade. O benefício pode variar de acordo com o tamanho da família (de até seis pessoas), chegando a até R$540,00.


Fotos: Divulgação SMASES

Compartilhe
Continuar Lendo
Comentários

Mais Notícias

Topo
Abrir chat
Precisa de ajuda?