Categorias
NOVIDADES

O QUE FAZER? Exposição Quebra Perna! de Davy Alexandrisky

Exposição fotográfica Quebra Perna!

Abertura: Terça-feira, 05 de agosto
Horário: às 20h
Local: Sala Carlos Couto, anexo ao Teatro Municipal de Niterói . Rua XV de Novembro 35, Centro
Visitação: de 06 a 31/08, terça a sexta-feira das 10h às 18h; sábados, domingos e feriados das 15h às 18h
Entrada: Franca
Classificação: Livre
Informações: (21) 2620-1624

A Sala Carlos Couto abre suas portas no mês de agosto a exposição “Quebra Perna!” do curador e fotógrafo Davy Alexandrisky. A abertura acontece na terça-feira, dia 5 a partir das 20h e a visitação vai de 06 a 31, de terça a sexta-feira, das 10h às 18h; sábados e domingos, das 15h às 18h. A Sala Carlos Couto é anexo do Teatro Municipal de Niterói. 

“Quebra Perna!” é uma singela homenagem aos incansáveis trabalhadores da dança: uma saudação desejando um bom espetáculo! No Teatro, “Perna” é o nome do sistema que abre e fecha as cortinas dos palcos.
Davy Alexandrisky empunhou uma câmera fotográfica profissionalmente pela primeira vez, em 1968. Eram passados 2 anos de dedicação ao fotoclubismo quando, definitivamente, a fotografia entrou em suas veias de forma irreversível.

De lá para cá, passou por todas as experiências que a fotografia permite a um fotógrafo. De fotografia de casamento a fotografia de publicidade; passando por laboratórios PB e cor, cromo e negativo, cópias pequenas e painéis, para grandes corporações; foto-jornalismo na antiga Editora Bloch (Manchete); 10 anos de magistério de fotografia em Faculdade de Comunicação, na UFF e Gama Filho, no SESC, na Sociedade Fluminense de Fotografia e no MAM, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro; fotografia industrial, para a Petrobrás; publicação de um livro de fotografias de Forrós; exposições em Museus e Galerias; Premiado pela FUNART no Edital Interações Estéticas 2009, com o projeto “Quilindo Quilombo”; gestor do Ponto de Cultura audiovisual ME VÊ NA TV e do Pontão de Cultura TV dos Pontos; e, nos últimos, experimentando timidamente os desafios da fotografia digital e seus recursos de manipulação.

Para Davy, valorizar a tradição cultural fluminense e dar oportunidades para os jovens desenvolverem a raiz popular do interior do estado são pontos importantes para a cultura no Rio de Janeiro.