Categorias
NOVIDADES

Médico de Família vai levar medicamentos a pacientes idosos acamados

O Programa Médico de Família (PMF) completou 20 anos de implantação no último dia 27 de setembro. Baseado em experiência cubana adaptada à realidade de Niterói, o modelo pioneiro de atenção básica se espalhou pelo Brasil, com a chancela do Ministério da Saúde, e ganhou o nome de “Programa Saúde da Família”. Duas décadas depois e com cerca de 170 mil niteroienses cadastrados, a iniciativa coordenada pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) deu início na última segunda-feira a um novo projeto, que vai beneficiar usuários acima de 60 anos: “No Coração da Vila”. O nome dado a iniciativa é uma analogia a uma das maiores causas de morte nas grandes cidades, o problemas cardiovasculares. O bairro da Ititioca, de acordo com a coordenação do PMF, será a segunda localidade a receber o projeto.

Nesta primeira fase serão beneficiados os idosos de um universo de cerca de 10 mil usuários cadastrados no Módulo Wilma Spin, moradores da Vila Ipiranga, Santo Cristo e parte do Fonseca. “No Coração da Vila” vai entregar mensalmente na casa de 200 idosos acamados e com impossibilidade de locomoção um kit com medicamentos contra hipertensão e diabetes.

Instalado em uma antiga unidade básica de saúde, situada à Rua Tenente Osório, o módulo conta com cinco médicos, cinco técnicos de enfermagem, dois enfermeiros, 10 agentes comunitários de saúde, além de dois dentistas e dois auxiliares de consultório dentário.

De acordo com a coordenadora executiva do PMF, médica Verônica Alcoforado, a população do bairro apresenta grande contingente de idosos, muitos dos quais se encontram acamados. A ideia vai ao encontro de um antigo desejo dos líderes comunitários locais e busca principalmente evitar a auto-medicação.

Nas visitas casa-a-casa, durante as consultas de rotina, as equipe verificam se há remédios e outros produtos fora de validade, que possam vir a comprometer o tratamento e a saúde do usuário.

Segundo a coordenadora da Regional Norte do PMF, enfermeira Marilza Cardoso, o programa cobre atualmente 38% da população de Niterói.