fbpx
Acesse nossas Mídias

Notícias

Nova onda de assaltos preocupa moradores e comerciantes de Niterói

Compartilhe

1Uma onda de assaltos e arrastões tem preocupado comerciantes e moradores do bairro de Icaraí, região nobre de classe média alta de Niterói, na região metropolitana do Rio. Na última terça-feira (19), uma perseguição policial no bairro, numa área de bares e restaurantes, resultou em cinco pessoas feridas, sendo três criminosos e dois moradores que estavam fazendo exercícios na praia e foram atingidos por balas perdidas.

Esse é apenas um dos vários casos que vem ocorrendo ultimamente na cidade, além de roubos e furtos a estudantes universitários que frequentam a Universidade Federal Fluminense (UFF) e saem da faculdade tarde da noite.

Para reduzir a ação de criminosos, policiais militares do 12º Batalhão da Polícia Militar (BPM) de Niterói fizeram uma operação nas comunidades da Grota e Igrejinha, na manhã desta quinta-feira (21). De acordo com a PM, a ação, que começou às 5h da madrugada contou com apoio de veículo blindado e teve como objetivo coibir o tráfico de drogas. A ação não resultou em prisões.

De acordo com o diretor da Associação Comercial de Niterói, Paulo César Moreira Leite, o clima no município é de insegurança total e quem mais sente as consequêcias é o comércio noturno. “Os assaltos na região de Niterói, tanto ao comércio, como aos transeuntes, deve-se a migração de bandidos de outras regiões. A violência está generalizada, desde o comércio mais ínfimo – os pequenos bares que constituem negócio familiar, até os localizados em bairros nobres”, disse.

Para ele, a insegurança no município ocorre em função de um projeto de segurança pública que não foi bem idealizado, além do efetivo reduzido de policiais para atender à região. “Acredito que o programa de segurança do governo do estado errou, quando passou a anunciar que iam invadir as comunidades com o apoio das Forças Armadas. Quando Niterói era capital do estado, o efetivo policial era maior que o atual. A população aumentou consideravelmente o que torna o atual [efetivo] deficitário”, disse Moreira Leite, acrescentando que os criminosos realizam arrastões diários no centro de Niterói.

De acordo com o professor pesquisador em Ciências Sociais da UFF, Jorge da Silva, a implanação do programa de Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) contribuiu para o aumento do índice da violência na região de Niterói e São Gonçalo. Segundo ele, o programa não deveria ter se focado apenas nas ações da polícia, mas também contar com projetos sociais, com a finalidade de promover a inclusão de jovens treinados para transmitir noções de cidadania.

“Outro defeito da UPP é a maneira como ele é implantado. Não pode ser expandido desta maneira, às pressas, como uma linha de montagem sem preparar policiais. É necessário tempo para habilitar policiais capacitados. (…) Daí surge o problema do aumento da violência em Niterói. Esses índices de violência aumentaram com a migração desses criminosos, de áreas pacificadas, para o outro lado da Baía [de Guanabara], ocasionando essa onda de crimes que está sendo divulgada, como assaltos a pedestres, ao comércio da região. Os roubos a ônibus aumentaram consideravelmente e agora também é frequente a ocorrência de arrastões, que mesmo com o reforço do efetivo de Maricá, região limítrofe com Niterói, esse aumento de policiais  não tem sido suficiente”, explicou.

De acordo com o 12º BPM, em maio deste ano o município ganhou mais uma Companhia Destacada, reduzindo os índices de violência, como roubo de veículos. O policiamento segue intensificado e ainda conta com apoio de PMs no Regime Adicional de Serviço (RAS). Além disso, existe um esforço para combater o roubo a pedestres com um reforço a mais de policiais militares. A população pode ajudar com denúncias, entrando em contato com o Comando do batalhão, ou ainda pelo 190 ou do Disque-Denúncia (2253-1177).

A corporação trabalha com os dados registrados pela Polícia Civil, o que aumenta a importância de os cidadãos fazerem registros das ocorrências. A partir daí as operações são planejadas com o objetivo de reduzir índices de criminalidade.

Registro

O último registro da violência aconteceu no último dia 11 de agosto, por volta das 22h, na rua Coronel Moreira César, a uma quadra da Praia de Icaraí, na Zona Sul de Niterói. Três amigos estavam passando pela via quando um carro parou próximo a eles e anunciou o assalto. Ao menos três homens estavam envolvidos na ação criminosa. Eles roubaram as mochilas dos jovens, que ficaram paralisados. O vídeo, feito por uma câmera de segurança, durou quase 40 segundos e viralizou nas redes sociais, gerando a indignação dos internautas. Assista.

Presos

De acordo com uma nota divulgada, hoje, pelo jornal O Fluminense, dois dos envolvidos no assalto a jovens em Icaraí foram presos. Eles foram baleados durante uma troca de tiros com a polícia e, ao serem presos, foram identificados como participantes da ação que circulou pelas redes sociais, através da filmagem de uma câmera de segurança, na Moreira César, no bairro da Zona Sul. Vítimas de outros dois roubos, um na Rua Geraldo Martins, em Jardim Icaraí, e outro na Rua Presidente Backer, em Icaraí, também reconheceram a dupla.

Fonte: Agência Brasil


Compartilhe
Continuar Lendo
Comentários

Mais Notícias

Topo
Abrir chat
Precisa de ajuda?