Categorias
NOVIDADES

TEATRO Grupo Vocal Boca que Usa traz repertório diferenciado de coral para o Teatro Municipal

1522_flyerServiço

Grupo Vocal “Boca que Usa”
Projeto Quarta Clássica
Data: Quarta, 15 de julho de 2015
Horário: 19h
Ingressos: R$ 15
Classificação etária: livre
Duração: 75 min

Local: Teatro Municipal de Niterói
Endereço: Rua XV de Novembro, 35, Centro, Niterói-RJ
Tel: (21) 2620-1624

O Grupo Vocal Boca que Usa se apresenta no Teatro Municipal de Niterói na quarta-feira, 15 de julho de 2015, a partir das 19h, em mais uma edição doprojeto Quarta Clássica, trazendo ao público um repertório de coral inovador, com força harmônica e interpretativa, que abrange desde a música antiga até a contemporânea. Os ingressos custam R$ 15 reais.

Com uma proposta de direção musical compartilhada, o conjunto busca trabalhar um repertório pouco executado no meio coral brasileiro, possuindo em seus quadros diversos regentes que dirigem seus próprios corais. Para a apresentação, o grupo traz para o palco obras de caráter religioso, secular, folclórico e popular.

Grupo Boca que Usa

Desde sua fundação, em Niterói, em 1997, como coro independente, o grupo Boca que Usa tem realizado intensa atividade de pesquisa musical e se apresentado nas principais salas de concerto e espaços culturais do Rio de Janeiro e de Niterói, além de participações em festivais e concursos nacionais e internacionais. Seu nome é um jogo de palavras com a expressão italiana bocca chiusa (boca fechada), a partir da qual se tem um significado, em português, oposto ao italiano.

Com técnica vocal a cargo da cantora e maestrina Lina Santoro e atualmente composto por integrantes com histórico de trabalhos destacados em importantes grupos musicais do Rio de Janeiro, o Boca que Usa valoriza a criação musical coletiva, possibilitando mais de um responsável pela preparação e direção musical das peças do repertório. Nesse sentido, segue a tendência consagrada e atual dos principais coros madrigais internacionais, apresentando-se sem uma regência direta.

Em junho de 2006, consagrou-se como o coro que obteve o maior número de prêmios simultâneos (medalha de ouro nas categorias: Melhor Grupo Vocal, Melhor Regência e Prêmio Júri Popular) e a pontuação mais alta até então na história do Concurso de Interpretación Coral de Música Folclórica y Popular Sudamericana (La Plata/Argentina), organizado pela Asociación Argentina para La Música Coral e considerado um dos mais importantes da América Latina.

Participou também do Concurso Internacional de Coros de Tolosa/Espanha, em 2007, que faz parte do Grand Prix Europeu de grupos corais, integrado pelos seis mais tradicionais concursos corais do mundo, e conta com prêmios na categoria Coro de Câmara pelo Certamen Internacional de Coros em Trelew/Argentina (2003 e 2009), com importante reconhecimento da crítica especializada e do público. Conquistou também a medalha de ouro no Concurso Internacional de Coros AMERIDE, realizado em 2011, sendo o único coro brasileiro premiado nesta competição.

O Boca que Usa acaba de ganhar duas medalhas de ouro no importante Concurso de Calella “Canta al Mar 2014”, realizado em Barcelona, Espanha, com a organização da INTERKULTUR. Este é um dos concursos corais mais importantes da Europa, no momento. O conjunto saiu com medalhas nas duas categorias que disputou: categoria Música Erudita nível 1 (o de nível mais alto) e Música sacra (a categoria mais disputada). Obteve a maior pontuação na categoria de música sacra, sagrando-se campeão. Com base na elevada pontuação obtida, garantiu o direito de participar do World Choir Games (Jogos Mundiais Corais), a serem realizados na Rússia, em 2016, sendo essa uma importante vitória do canto coral Brasileiro e latino-americano.

O conjunto é composto pelos cantores Amilcar de Castro, Ana Luisa Gouvêa, Duda Gutterres, Elisa Monteiro, Erica Villaça, Flávia Pinheiro, Giana Araujo, Guilherme Campos, Gustavo Campos, Jerônimo Menezes, Letícia Gonçalves, Lina Santoro, Lívia Natividade, Luciano Dyballa, Márcia Godinho, Mário Sampaio, Nina Fras, Ricardo Gutterres e Roberto Fabri.