Categorias
NOVIDADES

NOTÍCIAS Covid-19: Cai a circulação de ônibus municipais e intermunicipais em Niterói

Foto: O Globo

O Sindicato dos Rodoviários de Niterói a Arraial do Cabo (Sintronac) realizou um estudo sobre o impacto da covid-19 nas linhas de ônibus municipais e intermunicipais com ponto final no Terminal João Goulart, Centro de Niterói. A pesquisa, com 13 empresas, apontou que antes da pandemia elas operavam 60 linhas com movimentação diária de 865 coletivos. Em 15 de junho, já com flexibilização de algumas atividades, esse total tinha caído para 332 veículos, 38,3% da frota.

A empresa mais afetada pelas regras de isolamento e restrições das atividades, segundo dados da pesquisado, foi a Araçatuba. A empresa tinha 61 ônibus circulando antes da pandemia e passou para 11, operando apenas 18,03% de sua frota. Em seguida vem a Fortaleza, com 20%; Brasília, 20,5%; Ingá, 20,8%; Santo Antônio, 27,3%; Rio Minho, 32,2%; Pendotiba, 32,4%; Miramar, 36,5%; Mauá, 38,7%; Nossa Senhora do Amparo, 39%; Rio Ita, 48,1%; Fagundes, 66,2%; e 1001, 70%.

A linha 21 da Ingá, que liga o Fonseca ao Centro, deixou de circular durante a pandemia. Linhas intermunicipais com destino à lugares como Piabetá, em Magé, Imbariê, em Duque de Caxias, Jardim Catarina e Guaxindiba, em São Gonçalo, também deixaram de circular.

De acordo o Sindicato das Empresas de Ônibus do Estado (Setrerj), o setor rodoviário amargou perdas durante a pandemia. Os prejuízos já contabilizados estão na casa de R$ 100 milhões, em relação aos ônibus intermunicipais, e R$ 25 milhões para as empresas municipais de todo o Estado.

Fonte: Jornal A Tribuna e Jornal O Fluminense