fbpx
Acesse nossas Mídias

Notícias

Baixo estampido? Queima de fogos em 10 pontos de Niterói divide opiniões

Compartilhe

Segundo a Prefeitura, seriam fogos “silenciosos”, com baixo estampido. Mas o espetáculo dividiu opiniões, muitas pessoas reclamaram do barulho excessivo.

A queima de fogos de artifício em dez pontos da cidade marcou o Réveillon de Niterói.

Sem os tradicionais shows da virada de ano na Praia de Icaraí, ainda em razão da pandemia do novo coronavírus, os pontos foram escolhidos para evitar uma grande circulação de pessoas.

O espetáculo pirotécnico aconteceu na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do Barreto; no Mirante da Vila Ipiranga, no Fonseca; no Parque Esportivo do Caramujo; no reservatório de Água do Badu, em Pendotiba; no monumento Nossa Senhora Auxiliadora, em Santa Rosa; no Macquinho, no Morro do Palácio, no Ingá; no reservatório de água do Morro do Cavalão, em Icaraí; no Forte do Pico, em Jurujuba, no reservatório de água de Camboinhas; e no Loteamento Boavista, em Itaipu.

A queima de fogos foi patrocinada pela concessionária Águas de Niterói.

A queima de fogos aconteceu de forma simultânea nos dez pontos e durou cerca de 12 minutos.

Segundo a Prefeitura, os fogos de artifício foram de baixo estampido, para evitar poluição sonora e preservar, sobretudo, idosos, enfermos e animais domésticos. Muitas pessoas enviaram denúncias discordando desta informação, relatando terem sido fogos com o mesmo barulho de anos anteriores.

Cada um dos dez pontos teve uma tonelada e meia de fogos em várias cores, com o predomínio do dourado, e que formaram figuras de flores, estrelas e cometas.

Os fogos tiveram alcances de 120 e 80 metros, o que corresponde a prédios de 40 e 26 andares. Cada ponto teve o apoio de dois bombeiros com todos os equipamentos necessários.


Compartilhe
Continuar Lendo
Comentários

Mais Notícias

Topo
Precisa de ajuda?