Categorias
NOVIDADES

TEATRO “O Macaco da Vizinha” continua temporada no Solar do Jambeiro

Serviço

Data: sextas e sábados de Abril às 20h

Local: Solar do Jambeiro

Ingresso: 20 reais.

“O MACACO DA VIZINHA” CONTINUA TEMPORADA DE SUCESSO NO SOLAR DO JAMBEIRO

A peça “O Macaco da Vizinha”, dirigida por Victor Salzeda, continua sua temporada nas sextas-feiras e nos sábados de abril e de maio no Solar do Jambeiro. Montagem aplaudida pela comunidade artística de Niterói e do Rio de Janeiro, a apresentação  da comédia de Joaquim Manuel de Macedo prima pelo belo tratamento estético e por um processo de cartarse do público, que é transportado para a vida do século XIX. O espetáculo sempre é iniciado às 20h, os portões estarão abertos a partir das 19h30. O ingresso inteiro é vinte reais, garantidas as meias-entradas previstas em lei e tem desconto com a produção da peça através de flyer.

SINOPSE (com revelações do enredo)

A comédia musical em dois atos, “O Macaco da Vizinha”, relembra uma opereta e se passa no final do século XIX. Conta a história de Sofia, uma jovem moça recém- casada com Marcelo, que cria canários para a infelicidade de sua esposa. Sofia alega que seu marido dedica muito tempo a tal tarefa, tempo este que deveria ser investido em dedicação ao seu casamento. O grande “basta” é quando Juvêncio, amigo admirado de Marcelo, começa a cortejá-la em sua ausência. Indignada, Sofia reclama a Beatriz, sua cunhada.

Com uma visão bastante feminista, Beatriz toma as dores de Sofia e trama um plano para que Marcelo deixe de lado sua criação de canários e passe a dedicar mais tempo ao seu casamento. O nome “O MACACO DA VIZINHA” é devido a um personagem apenas citado na história: o macaco da vizinha, que por vezes invade o viveiro de Marcelo, causando tumulto entre seus canários e alarde na casa. Marcelo persegue o macaco, mas nunca consegue apanhá-lo. O espetáculo é repleto de comédia e música, o que aproxima ainda mais a plateia da trama. No fim da história Juvêncio se dá mal e o plano de Beatriz tem êxito. Todos ficam felizes com o rumo da história.