Categorias
NOVIDADES

Novas Barcas podem ser entregues antes do prazo

IFPrevistas para março de 2015, Niterói poderá receber, mais breve do que pensava, ao menos uma das sete barcas que estão sendo construídas na China.  Em visita ao estaleiro Afai Southern Shipyard, em Guangzhou, o prefeito Rodrigo Neves, acompanhado do vice-governador Luiz Fernando Pezão, trouxe a expectativa que entre julho e outubro de 2014, uma das embarcações já esteja em uso.

No encontro, Ding Nong, vice-presidente da China Shipping Group Group, holding do estaleiro, Rodrigo acenou com a possibilidade da antecipação da entrega da embarcação de 2 mil lugares.

“Verificamos que os cascos das novas barcas já estão sendo construídos e tivemos uma reunião com os diretores do estaleiro. E recebemos essa notícia de que o cronograma será antecipado. A estimativa é que a primeira embarcação seja entregue a partir de julho, no máximo até outubro de 2014”, revelou o prefeito de Niterói, que frisou aos empresários chineses a importância do transporte aquaviário para a cidade e enumerou os projetos de mobilidade para Niterói, entre eles, a TransOceânica, o mergulhão, a nova estação Araribóia e também o projeto de duplicação da estação das barcas de Charitas.

“São ações  fundamentais para a melhoria da mobilidade urbana da nossa cidade. Essas embarcações são parte de extrema importância para essa transformação” disse o prefeito.

Memória – O governo do estado comprou nove embarcações novas, que vão acabar com as filas de espera nas estações: sete estão sendo construídas pelo estaleiro chinês e as outras duas, pelo estaleiro cearense Inace. O total dos investimentos é de R$ 273 milhões.china4

Com as novas barcas, a capacidade de transporte da frota passará de 12,8 mil passageiros por hora para 24 mil passageiros por hora em cada sentido. E o tempo médio de travessia Rio-Niterói, que hoje é de 18 minutos, passará para 12 minutos. Atualmente, nove embarcações fazem o percurso, sendo quatro catamarãs, adquiridos há pouco tempo, com capacidade para 1.300 passageiros, cada um, e cinco barcas antigas, que serão desativadas.