Acesse nossas Mídias

Agenda

Texto de Bertolt Brecht sobre a Alemanha nazista, chega ao Solar do Jambeiro

Compartilhe

1554_flyerServiço

Peça “Terror e Miséria do Terceiro Reich”
Datas: Terças, 14, 21 e 28 de julho e 04, 11, 18, 25 de agosto
Horário: 20h
Entrada gratuita
Classificação etária: livre

Local: Solar do Jambeiro
Endereço: Rua Presidente Domiciano, 195 – Boa Viagem
Telefone: (21) 2109-2222 | (21) 2109-2223

Como parte do projeto Terças de Teatro, o espetáculo “Terror e Miséria do Terceiro Reich” chega ao Solar do Jambeiro para uma temporada de dois meses, com apresentações agendadas para todas as terças-feiras de julho e agosto, sempre às 20h. Escrita pelo dramaturgo e poeta alemão Bertolt Brecht, o texto traz para o público um olhar tragicômico sobre a humanidade ante a Segunda Guerra Mundial. A entrada é franca.

Escrita por Brecht entre 1935 e 1938 em seu exílio na Dinamarca, “Terror e Miséria no Terceiro Reich” foi criada a partir de recortes de jornal, notícias de rádio ou por qualquer outra fonte de informação disponível além das fronteiras de Hitler. Em um compêndio sobre os homens ante a guerra, o poeta faz um panorama da sociedade alemã sob o domínio nazista.

As mazelas, as tristezas, as crueldades e o patético do humano, quer seja na família, nas ruas, nos tribunais de justiça, nos hospitais, no comércio, enfim, a sociedade em geral é exposta de forma primorosa por um dos maiores dramaturgos do século XX. Pela linguagem de um texto de costumes, o povo alemão é mostrado em seu cotidiano e a partir desta visão, Brecht fala de toda uma humanidade, de como ela reagiu perante um regime totalitário e como um de nós, Hitler, pôde nos levar ao absurdo de sua ideologia.

Na montagem, 35 atores atuam em 24 cenas, sendo que três delas, chamadas “periféricas”, acontecem simultaneamente. O espectador recebe um mapa explicativo e pode escolher qual delas prefere assistir. Em forma de revezamento, os atores que não estão atuando exercem as atividades de produção. É um trabalho colaborativo, no qual as demandas são sanadas e construídas pelos próprios atores-colaboradores, em um método de produção coletiva, o ator se torna um elemento de múltiplas tarefas, sendo, também, figurinista, iluminador, pesquisador, cenógrafo, etc.

A criação e coordenação geral é de Fabio Fortes, que explica que a ideia do trabalho colaborativo surgiu dos próprios artistas. “Aproveitei uma reivindicação do pessoal do Niterói em Cena, que pedia uma participação maior nas atividades dos espetáculos. Não somos uma companhia, e essa abordagem permite que todos os envolvidos recebam a mesma quantia pelo trabalho, o que acaba com as discrepâncias entre salários, muito comuns nos projetos culturais elaborados hoje em dia”, explica o diretor.

“Reler Brecth é um desejo antigo, esse texto é episódico, e a maioria dos atores sempre gosta de trabalhar com temática de guerra. O próprio Brecht preconizava que o teatro moderno era aquele em que o público poderia escolher o que quer ver”, conclui Fortes

Bertolt Brecht

Eugen Berthold Friedrich Brecht nasceu no ano de 1898, e faleceu em 1956. Escritor e dramaturgo alemão conhecido por suas peças com conteúdos sociais, incluindo “Mãe Coragem”, passada na Guerra dos Trinta Anos, e “A Ópera dos Três Vinténs”, uma adaptação da obra inglesa do século XVII “Ópera dos Mendigos”, foi um dos maiores inovadores da linguagem teatral no século XX. Brecht foi perseguido pelo regime nazista por seus ideais comunistas e foi um dos principais artistas durante a Segunda Guerra Mundial a se tornar ícone e expoente da crítica social.


Compartilhe
Continuar Lendo
Comentários

Mais Agenda

Topo