Categorias
NOVIDADES

CIDADE Procon interdita câmaras resfriadas de filial do Supermarket em Niterói

20160720_112002edt_1469049488.28Dando prosseguimento a Operação Mutley, que tem foco nas Olimpíadas, o Procon Estadual, ligado à Secretaria de Estado de Governo, autuou, na última sexta-feira (22/07), nove de 10 estabelecimentos vistoriados. O objetivo dessa nova etapa foi fiscalizar supermercados e hotéis de Niterói e restaurantes no Centro do Rio.

Em Niterói, no Supermarket, localizado na Estrada General Castro Guimarães, 771A, no Largo da Batalha, os fiscais encontraram carne de porco vencida e linguiças, salsichões e mortadelas com prazo de validade superior ao indicado pelo fornecedor. Havia quatro lixeiras sem acionamento por pedal na área de preparo da padaria e na ilha de frios. As câmaras resfriadas da padaria tinham bolor nas paredes e suas prateleiras estavam com ferrugem. As câmaras do açougue estavam com paredes descascadas, presença de bolor e os seus pallets eram de madeira, contrariando as normas do setor. Todas foram interditadas até que as irregularidades sejam sanadas e reavaliadas pelo Procon-RJ. Não foi apresentado o certificado de potabilidade da água, que deverá ser levado a autarquia em até 15 dias. Pela ausência do certificado, os fiscais deram o prazo de 24 horas para limpeza do reservatório de água.

Já no H Niterói Hotel, que fica na rua Paulo Alves, 14, no Ingá, os agentes identificaram a ausência de cartaz informativo sobre exploração sexual de crianças e adolescentes, ausência de informe de crimes e penas sobre exploração sexual. Não disponibilidade de preservativos. Ausência de folhetos de prevenção de doenças sexuais. Ausência de placa sobre o combate da violência contra mulher e a ausência de cartaz sobre o turismo sexual.

No Rede Economia, que fica na Estrada Washington Luís, 1, no Sapê, foram encontrados produtos expostos a venda com validade superior a do fabricante, área do açougue com piso quebrado, teto descascando e ralo quebrado. O Procon deu prazo de 15 dias para o conserto, sob pena de interdição. Havia, ainda, a ausência do Livro de Reclamações, ausência de certificado de potabilidade da água e do certificado do Corpo de Bombeiros. O prazo dado para o supermercado foi de 24 horas para limpeza do reservatório e de 15 dias para entrega dos certificados.