Categorias

POLÍCIA Dois últimos PMs do caso Patrícia Acioli são condenados pelo Júri de Niterói

f_220043Os dois últimos, dos 11, policiais militares denunciados pelo Ministério Público pelo assassinato da juíza Patrícia Acioli, em agosto de 2011, foram julgados e condenados na noite da última segunda-feira, 14, pelo Júri de Niterói. Sammy dos Santos Quintanilha e Handerson Lents Henrique da Silva foram condenados a 25 e 4 anos de prisão, respectivamente, pela juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce.

Sammy foi condenado a cumprir sua pena em regime fechado por homicídio triplamente qualificado e formação de quadrilha. Além das condenações, ele terá de pagar multa no valor de 50 salários mínimos, que serão destinados aos cofres públicos.

Já Handerson foi condenado a quatro anos e seis meses de prisão em regime semiaberto, por violação de sigilo, ao ter revelado o endereço da residência de Patrícia Acioli, e levado até lá, parte do grupo do tenente Daniel Benitez. Ele já cumpriu dois anos e sete meses da reclusão em regime fechado, e passará a cumprir o restante da pena em regime semiaberto na Casa do Albergado Coronel PM Francisco Spargoli Rocha, no Centro de Niterói. Além da condenação, Handerson terá de pagar multa de 25 salários mínimos, que também serão destinados aos cofres públicos.

Com o julgamento, todos os réus denunciados pelo MP foram condenados. Os outros nove PMs julgados e condenados pelo crime anteriormente são o ex-comandante do 7º BPM (São Gonçalo) Cláudio Luiz de Oliveira, Daniel Santos Benitez, Sérgio Costa, Carlos Adílio Maciel dos Santos, Jefferson de Araujo Miranda, Jovanis Falcão, Junior Cezar de Medeiros, Charles Azevedo Tavares e Alex Ribeiro Pereira.