Devaneios de uma Mulher - Guia de Niterói
Categorias

Devaneios de uma Mulher

eusébio1Por Ana Fonte (anacafonte@gmail.com)

Devaneios de uma mulher

Nunca quis ter uma filha. Parei pra pensar o porque justamente hoje. Talvez seja porque vivi cercada a vida inteira por mulheres, ou porque seja mulher. Sabe, me parece mais fácil ser homem, lidar com eles, cria-los pra vida.

Longe de mim parecer “machista” ou algo do tipo. Na maioria das vezes acontece assim com as mulheres: logo que nascemos o mundo nos traz flores. Enquanto vamos crescendo as quinas das mesas do centro da sala, se apresentam revestidas do mais puro algodão. Nossa pele frágil não pode se ferir, magoar ou cortar. A vida parece feita de ilusões de conto de fadas perfeitas. De repente, chega o dia em que a bolha que nos protegia se estoura e nos vemos jogadas a selva, totalmente desarmadas e despreparadas.

Descobrimos que foi um grande erro termos sido tratadas como uns bibelôs. O mundo, meu caro, não se apresenta revestido de algodão. Ele, na realidade, é coberto por arame farpado, qualquer descuido o corpo se fere e sangra. E antes da cabeça se tornar mulher o corpo já te exige ser. E sangramos. Primeiro corte que só vai cicatrizar lá pelo meio da vida. Nos tornamos mulher aos trancos e barrancos, vamos a luta do respeito e valorização do nosso trabalho.

Sexo frágil sim, e perfumado e desejado. Nos esquivamos do assedio constantemente, em qualquer lugar, em qualquer canto. E se temos alguma recaída vem a sociedade – falsa moralista – com pedras pra te tacar e ódio pra atacar. Algumas tem a sorte de encontrar alguns que a transportam para outro mundo. Que é algo intermediário a sonho e realidade. E se encaixam e se completam. A vida de uma mulher só sera completa se ela for respeitada e amada por quem ela compartilha sentimentos equivalentes.

Algumas se privam de gerar um filho, porém as que se permitem doar sua energia, vitaminas, curvas e sangue pra gerar um novo ser, elas me parecem divinamente tão mais mulheres. E a vida te coloca diante de um novo corte. Onde a mulher tem um pedaço dela perdida pelo mundo. Coração fora do corpo. Esse corte nunca cicatriza, mas ela escolheu essa dor. Que com seus cuidados pode e deve lhe recompensar com muito orgulho e amor. Seria o certo, e o mais digno a ser feito. Façam por favor, por amor, por merecer ter essa mulher, por ser um pedaço dela.

São tantas as emoções de ser mulher, que nem consigo escolher um ponto final. Mas ainda prefiro gerar um homem. Eles são indiscutivelmente mais simples.

Leave a Comment

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>